O Juízo [REVIEW]

Estreia nesta quinta-feira, dia 05/12/2019, O Juízo, filme do diretor Andrucha Waddington. O elenco conta com Felipe Camargo, Carol Castro, o rapper Criolo e as participações mais que especiais de Fernanda Montenegro e Lima Duarte.

 

O Juízo é um suspense sobrenatural que conta a história de Augusto Menezes (Felipe Camargo) e a maldição que persegue sua família há séculos: a vingança de um escravo (Criolo) e sua filha (Kênia Bárbara), mortos por um antepassado de Augusto.

 

A ideia de um suspense sobrenatural brasileiro é interessante, pois o gênero é pouco explorado no país, e um filme com um time consagrado pode abrir portas para outras obras. Por outro lado, levanta a questão de que, caso o time não fosse formado pela família Torres/Waddington, será que esse filme sairia do papel? Além do elenco ter Fernanda Montenegro, de o roteiro ser escrito por sua filha, Fernanda Torres - que é casada com o diretor Andrucha Waddington - o filme também tem a participação do filho do casal, Joaquim Waddington. Como diria o Choque de Cultura: fica aí o questionamento.

 

 

Faço esse questionamento pois O Juízo é um filme fraco, que não consegue criar a tensão necessária para um suspense. Já de cara, no início do filme, o diretor Andrucha peca pelo excesso de explicações verbalizadas pelos personagens, ignorando um dos princípios básicos do cinema - "show don't tell", ou seja: mostre o que acontece ao invés de ficar dando explicações. As atuações também não convencem - talvez mais pela duração desnecessariamente extensa das cenas: um simples desmaio leva 10 minutos para acabar... Falta profundidade nos personagens e não conseguimos desenvolver uma empatia com eles. A história de vingança/maldição, apesar de ser bastante explorada na gringa, é bem interessante, mas mal contada.

 

 

O lado bom d’O Juízo (com o perdão de possíveis trocadilhos) é que a obra promove, com artistas de renome nacional e internacional, o gênero de suspense sobrenatural brasileiro e pode abrir caminho para outros autores quererem explorar a rica fonte de fábulas e lendas do país. Precisamos de diversidade no cinema nacional para fugir do binômio violência/comédia que são os dois temas que tem chance de concorrer com os filmes vindos de fora. Também é preciso parar com a mania de diretor brasileiro de querer meter "arte" em tudo (interprete da maneira que quiser). Às vezes, queremos apenas nos divertir ao assistir uma história bem contada. Simples assim. 

 

Outros aspectos positivos são o fato do filme não apelar para sustos baratos e investir na loucura que vai assomando o protagonista aos poucos, em plena luz do dia, bem como a interação de Augusto com Couraça - Criolo e seu "espírito de vingança" dão um tom sinistro na dose certa para o personagem. Ah, e a locação é muito bonita também: uma antiga fazenda na cidade de Barra do Piraí, no Rio de Janeiro.

 

 

Se você gosta de histórias de fantasmas, prestigie o cinema nacional e, se for o caso, aproveite o caminho aberto por O Juízo e faça melhor. O Brasil tem inúmeras histórias macabras que dariam excelentes filmes. Os espectadores ficarão tensos e ainda assim lhe agradecerão ;)

 

 

O Juízo (Brasil, 2019) - Estreia dia 05/12/2019

Sinopse

Augusto Menezes (Felipe Camargo) muda-se com a mulher Tereza (Carol Castro) e o filho, Marinho (Joaquim Torres Waddington), para uma fazenda abandonada, herdada do avô, na esperança de colocar a vida nos trilhos. A propriedade, no entanto, carrega o carma da traição ao escravo Couraça (Criolo), que busca ao longo dos séculos a vingança contra a família de Augusto.

 

Trailer:

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

OPEN Feira de Design - Edição Especial de Natal

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Categorias

© Site orgulhosamente criado pela equipe PoaCult para você.

Faça contato conosco, envie e-mail para poacult@poacult.com.br