Asteroide encerra a programação do 5º Kino Beat

Após dois meses de intensa programação em diversos pontos da cidade, o Kino Beat encerra sua quinta edição com Asteroide, performance audiovisual inédita criada pelo uruguaio Fernando Velázquez especialmente para o festival.

 

Asteroide é uma performance audiovisual que explora a gravidade como catalisador da potência do mundo, desenvolvida especialmente para o festival. Fernando Velázquez é artista transdisciplinar. Suas obras incluem vídeos, instalações e objetos interativos, performances audiovisuais e imagens geradas com recursos algorítmicos.

 

Na sua pesquisa explora a relação entre Natureza e Cultura colocando em diálogo dois tópicos principais, as capacidades perceptivas do corpo humano e a mediação da realidade por dispositivos técnicos. Se interessa pelo cruzamento da arte com outras áreas do conhecimento como a ciência, a filosofia e a antropologia visual de forma a construir processos e metodologias híbridas.

 

Velázquez é parceiro antigo do evento: participou da primeira edição do Kino Beat, em 2014 com a performance Mindscapes.

 

Pela primeira vez, a programação do Kino Beat foi pautada por um tema principal, a abundância. “Vivemos o paradoxo da abundância, temos tanto e ao mesmo tempo tão pouco, seja em ideias, recursos naturais, recursos tecnológicos ou sob a perspectiva do conhecimento humano”, declara Gabriel Cevallos, criador e curador do evento.

 

Com o objetivo de investigar o tema por meios das atrações artísticas e seus desdobramentos por analogias, metáforas e poéticas, a abundância se cristaliza na variedade de linguagens artísticas contempladas: música, cinema, teatro, artes visuais e as diversas disciplinas e gêneros que derivam destes pilares, e também no olhar e escuta atentos para a multiplicidade de vozes que gritam por visibilidade, abrangendo o maior e mais variado número de artistas brasileiros e estrangeiros.

 

Mais de 50 artistas e 22 atrações ao vivo integraram 11 dias de programação intensa em dez espaços culturais de Porto Alegre, com artistas e pensadores do Brasil, Uruguai, França e Suíça reunindo um público de mais de 2500 pessoas. “A edição desse ano foi um desafio, pelo formato fragmentado e espalhado pela cidade, com muitos dias de programação e locações, exigiu atenção e interesse do público, que ao final foi satisfatório. Foi bonito ver as pessoas se mobilizando e muitos acompanhando todas as atividades propostas, mostra que o festival tem um público fiel, e que também conseguiu alcançar novas plateias”, revela Cevallos.

 

A exposição Lento Crepúsculo, em cartaz na Pinacoteca Ruben Berta e no Paço Municipal, ganhou mais uns dias em cartaz: o público poderá visitar a mostra com curadoria de Chico Soll, Fernanda Medeiros e Gabriel Cevallos até 18 de janeiro.

 

SERVIÇO

O QUE Asteroide - Performance audiovisual de encerramento do Kino Beat

QUANDO 13 de janeiro, às 20h com duração de uma hora,

ONDE Teatro da Unisinos (Av. Dr. Nilo Peçanha, 1600)

Entrada gratuita - as senhas serão distribuídas no local  a partir das 19h.

Mais informações: facebook.com/kinobeat | kinobeat.com | Instagram @kinobeatfestival

 

Fernando Velázquez é artista transdisciplinar. Suas obras incluem vídeos, instalações e objetos interativos, performances audiovisuais e imagens geradas com recursos algorítmicos. Na sua pesquisa explora a relação entre Natureza e Cultura colocando em diálogo dois tópicos principais, as capacidades perceptivas do corpo humano e a mediação da realidade por dispositivos técnicos. Se interessa pelo cruzamento da arte com outras áreas do conhecimento como a ciência, a filosofia e a antropologia visual de forma a construir processos e metodologias híbridas. Mestre em Moda, Arte e Cultura pelo Senac-SP, pós graduado em Video e Tecnologias On e Off-line pelo Mecad de Barcelona, participa de exposições no Brasil e no exterior com destaque para a The Matter of Photography in the Americas (Cantor Arts Center, Universidade de Stanford, USA, 2018), Emoção Art.ficial Bienal de Arte e Tecnologia (Itaú Cultural, Brasil, 2012), Bienal do Mercosul (Brasil, 2009), Mapping Festival (Suiça, 2011), WRO Biennale (Polônia 2011) e o Pocket Film Festival(Centre Pompidou, Paris, 2007). Recebeu, dentre outros, o Premio Sergio Motta de Arte e Tecnologia (Brasil, 2009), Mídias Locativas Arte.Mov (Brasil, 2008) e o Vida Artificial (Espanha, 2008). Foi professor convidado na PUC-SP, FAAP-SP e Senac-SP e ministra palestras e workshops em instituições públicas, privadas e do

terceiro setor como por exemplo, Stony Brook University (Nova Iorque), Cyberfest (São Petesburgo, Rússia), Naustruch (Sabadell, Espanha), Visiones Sonoras (Morelia, México). Tem organizado projetos e exposições como Motomix 2007, Papermind Brasil, Projeto !wr?, Adrenalina e Periscopio e desd

 

Sobre o Kino Beat

O Kino Beat é um Festival de música, performances audiovisuais multimídia e artes integradas. A partir dos pilares, imagem (Kino) e som (Beat), apresenta artistas e atividades multidisciplinares, que utilizam de diversos modos as tecnologias no processo criativo de suas obras. O experimental, o sensorial e a imersão, são premissas para composição do seu programa, que se espalha pela cidade, ocupando teatros, galerias, museus, espaços culturais e casas noturnas. Diluindo fronteiras entre linguagens e gêneros, as atrações de natureza híbrida, são apresentadas em diversos formatos, transitando entre shows musicais, performances audiovisuais, exposições, oficinas, seminário, mostras de filmes e festas.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Cine Esquema Novo 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Categorias

© Site orgulhosamente criado pela equipe PoaCult para você.

Faça contato conosco, envie e-mail para poacult@poacult.com.br