Mostra Gema celebra a música de raiz

Festival no Vila Flores apresenta onze shows nos dias 15 e 16 de dezembro, trazendo a diversidade dos povos que formam a cultura do Sul do país. A entrada é franca

 

Nos dias 15 e 16 de dezembro (sábado e domingo), a partir das 17h, o Vila Flores, em Porto Alegre/RS, será palco de um festival que contempla a diversidade da música dos povos que formam a herança cultural do Sul do Brasil. A Mostra Gema vai apresentar onze espetáculos musicais em que tradição e inovação se misturam, apresentando a riqueza da música regional e popular. A entrada é franca.

 

Em shows criados especialmente para este evento, a programação contempla alguns protagonistas da websérie da primeira temporada do Projeto Gema - como o guitarrista Bonitinho, a Bandinha Típica Alemã Goela Seca e Nilton Vaqueiro, trovador do Quilombo Ibicuí da Armada - além de outros importantes nomes da cultura popular e tradicional, como a atriz, musicista e compositora Pâmela Amaro; a cantora e percussionista da banda AfroEntesNina Fola; Rafa 16 e a banda Caco Velho Ensemble, que homenageia o importante sambista Caco Velho; a Tribo Carnavalesca Os Comanches; o Batidão dos Garotos, formado por índios mbya-guaranis de Biguaçu/SC; o jovem alabê Diih Neques e o grupo da comunidade quilombola de Arroio do Meio. O festival se encerra com o Baile Regional Contemporâneo do guitarrista Joao Pedro Cé e a Banda Quadril.

 

O Projeto Gema é uma iniciativa musical multiplataforma - composto por uma websérie em dez episódios, podcasts, textos, fotografias e revistas distribuídas em equipamentos culturais e escolas estaduais de ensino público - sobre a música regional do Rio Grande do Sul. O fio condutor do projeto é a musicalidade, a diversidade e os diferentes fazeres musicais (ritualísticos, espirituais, celebrativos e de entretenimento) dos povos que compõem a herança cultural do estado. É também objeto e conteúdo desta iniciativa a cultura popular ancestral e os mestres e comunidades tradicionais que habitam seu território. Conheça a websérie: www.youtube.com/c/ProjetoGema

 

A Mostra Gema tem patrocínio da Cerveja Polar e conta com o apoio e financiamento do Pró-Cultura - RS / LIC (Lei de Incentivo à Cultura) da Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul - SEDACTEL.

 

Serviço

Mostra Gema

Dias 15 e 16 de Dezembro, a partir das 17h

Vila Flores - Rua São Carlos, 753, bairro Floresta, Porto Alegre/RS

ENTRADA FRANCA

Line up

Sábado, 15 de dezembro:

18h - Nilton Vaqueiro

18h40 - Tribo Carnavalesca Os Comanches

19h30 - Pâmela Amaro

20h30 - Batidão dos Garotos

21h30 - Rafa 16 & Caco Velho Ensemble

 

Domingo, 16 de dezembro:

17h30 - Diih Neques

18h05 - Nina Fola

18h15 - Quilombolas da Comunidade Vovô Teobaldo

19h - Bonitinho, no show Bujazz

20h20 - Goela Seca

21h - Baile Regional Contemporâneo, com João Pedro Cé e Banda Quadril

 

Site: www.projetogema.com.br

Facebook: www.facebook.com/ProjetoGema/

Youtube (documentários): www.youtube.com/c/ProjetoGema

Soundcloud (podcasts): https://soundcloud.com/projetogema

Instagram: @projeto_gema

 

Conheça as atrações

Nilton Vaqueiro (Santana do Livramento) - Locutor de rodeios e engajado nas causas sociais, Nilton Vaqueiro é membro importante da comunidade quilombola de Ibicuí da Armada, em Santana do Livramento. Lá, ajudou a criar um movimento de resistência musical: o Regional de Ibicuí da Armada, que anima os bailes da comunidade, misturando instrumentos tradicionais da música nativista - como a gaita-ponto - com outros típicos das culturas africanas, indígenas e latinas - como a maraca, o pandeiro, o axé e o surdo. Nilton Vaqueiro é também personagem do episódio 4 da primeira temporada do Projeto Gema. Assista: https://youtu.be/WzQtnAQPat4

 

Tribo Carnavalesca Os Comanches (Porto Alegre) - As tribos carnavalescas são patrimônio do carnaval de Porto Alegre, possuindo instrumentação, ritmo e temática própria. As tribos tiveram grande destaque entre 1950 e 1960, sendo muitas. Hoje, restam apenas duas: Os Guaianazes e Os Comanches. Fundada em 1959, a Tribo Carnavalesca Os Comanches conquistou o título de "Doutor do Carnaval", por ter vencido seis vezes consecutivas o concurso das tribos. Sua sede é a "Taba de Urupá", localizada na Vila São José, zona leste de Porto Alegre.

 

Pâmela Amaro (Porto Alegre) - É atriz, cantora, compositora, música e arte-educadora de intensa produção artística em Porto Alegre. Vem de uma família musical que a inspirou seguir pelo caminho das artes. Sambista, tem se destacado como compositora com músicas gravadas por artistas do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Santa Catarina, como Glau Barros, Didi Assis e Marcelo Silva. Cofundadora e organizadora do Sarau Sopapo Poético - Ponto Negro da Poesia. Poeta, publicou poesias na antologia Pretessência/2016. Atuou em performances, espetáculos teatrais e musicais como Lupi-O Musical, Ayê, Recital Batuque Tuque Tuque; participou como atriz e música nos grupos teatrais Caixa Preta e Usina do Trabalho do Ator. Integra o grupo musical Três Marias. O showCasa de Versos apresenta suas canções autorais com samba, partido alto, jongo e batuques. 

 

Batidão dos Garotos (Tekoá Mymbá Roká | Biguaçu-SC) - Formado por índios mbya-guaranis da Tekoá Mymbá Roká, Terra Índigena do Amaral, em Biguaçu/SC, o Batidão dos Garotos é um conjunto composto por teclado, guitarra e vozes, com a finalidade de tocar para seus parentes e aldeias distantes. Em seu repertório, clássicos do forró e do sertanejo universitário, cantados em português e mbya, além de cantos e músicas tradicionais de suas comunidades.

 

Rafa 16 & Caco Velho Ensemble (Porto Alegre) - Caco Velho foi um sambista gaúcho que terá o centenário de seu nascimento comemorado em 12 de Março de 2019. Autodidata, tocava pandeiro, contrabaixo, piano e bateria. Amigo de Luiz Gonzaga, foi também influência declarada pelo próprio Jackson do Pandeiro. Tocou com Hebe Camargo, Sivuca, Caçulinha, Benito di Paula. "Barco Negro", de sua autoria, é até hoje um dos fados com o maior número de gravações em todos os continentes. Reza a lenda que, ao vê-lo tocar em um hotel na cidade do Rio de Janeiro, Walt Disney se inspirou e criou a personagem Zé Carioca. Formada por uma banda composta por dez músicos e mais algumas participações especiais, a Caco Velho Ensemble tem pesquisa, arranjos, direção musical, cavaquinho e vocal principal de Rafael Dezesseis, músico e compositor de Porto Alegre, atual diretor musical do projeto Sindusom.

Diih Neques (Alvorada) - Diih Neques é alabê (líder dos tocadores de atabaque nos terreiros de batuque) no Rio Grande do Sul e iniciou-se na percussão aos oito anos de idade. Hoje, aos 24 anos, é músico percussionista e educador social, com atuação em diversos projetos sociais nas periferias de Porto Alegre e Alvorada.

 

Nina Fola (Porto Alegre) - Mulher, negra e de terreiro, cantora e percussionista da banda AfroEntes. Coordena o Coletivo e o Grupo de Estudos do Pensamento de Mulheres Negras Atinúké e a Biblioteca Temática Pedro Cunha. Dedicou parte de sua vida (mais de 25 anos) à militância social contra o racismo, através de vários campos: cultural, artístico, político e partidário. Academicamente desenvolve pesquisa com o Povo de Terreiro e Sociologia Política. Socióloga e Mestranda cotista, bolsista da CAPES no Programa de Pós Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Quilombolas da Comunidade Vovô Teobaldo (Arroio do Meio) - A comunidade São Roque, localizada no interior da cidade de Arroio do Meio, é situada em zona de imigração predominantemente alemã. Foi lá nesta comunidade que Theobaldo da Silva - negro escravizado que se alforriou ainda jovem - criou a comunidade no alto do Morro São Roque. Desde então, o quilombo preserva os costumes da cultura africana através de suas danças, cantos, religiosidade e culinária.

 

Bonitinho (Itaqui) - Juliano Trindade "Bontinho" é o guitar-hero dos pampas. Natural de Itaqui, onde começou a tocar influenciado por Pepeu Gomes, Joe Pass, Carlos Santana, Antoninho Duarte, entre outros, Bonitinho é hoje um dos mais importantes instrumentistas da música gaúcha, agitando bailes em todo o Rio Grande do Sul. Neste show, intitulado Bujazz, Bonitinho mostra todo o seu virtuosismo no instrumento, acompanhado pelo baixista Eduardo Lá e pelo guitarrista João Pedro Cé. Bonitinho é protagonista do 2º episódio da websérie do Projeto Gema. Assista:https://youtu.be/-Wf9NADJEos

Goela Seca (Vale do Caí) - A Goela Seca é uma das mais tradicionais "bandinhas" do Vale do Caí. Formada no final dos anos 1970, ainda hoje conserva elementos antigos, como o "berimbau do vovô", instrumento criado por Cacildo Eidt, seu fundador. No repertório, valsas, dobrados, polcas, maxixes e muita alegria e diversão. A banda Goela Seca é protagonista do episódio 5 da websérie do Projeto Gema. Assista: https://youtu.be/IXm9qVQ0XDI

 

João Pedro Cé e Banda Quadril (Porto Alegre) - João Pedro Cé é músico guitarrista e produtor. Em suas pesquisas, busca compreender a história dos ritmos brasileiros, e as semelhanças entre as expressões de diferentes regiões. No Baile Regional Contemporâneo, João Pedro e a banda Quadril mostram a aproximação dos ritmos regionalistas do Rio Grande do Sul com outras linguagens musicais, como a cúmbia, a guitarrada do Pará, o samba-rock e o reggae.

 

Ficha Técnica

Idealização, coordenação geral, curadoria e direção artística: Lucas Luz

Produção Executiva: Dasluzes e Alice Castiel Ruas

Identidade visual, projeto gráfico e artes: Lídia Brancher e Gabriel Sacks

Produção Técnica: Brenno di Napoli

Apoio: Estúdio Gaia e Vila Flores

 

Sobre o Projeto Gema

O Projeto Gema é o maior levantamento das raízes musicais do RS já feito desde as pesquisas e vivências de Paixão Côrtes e Barbosa Lessa no final dos anos 1940, e dos discos "Música Popular do Sul", da gravadora "Discos Marcus Pereira", na década de 1970. Por seu importante legado e relevância para a cultura gaúcha e brasileira, em 2016 o projeto foi finalista na categoria música do Prêmio Brasil Criativo, que valoriza a economia criativa brasileira. Em 2018, o Projeto Gema recebeu Menção Honrosa no Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, concedido peloIPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - um dos mais importantes reconhecimentos para a salvaguarda do patrimônio imaterial brasileiro.

 

Idealizado pelo pesquisador em culturas tradicionais e produtor cultural Lucas Luz, o projeto teve sua primeira temporada realizada em 2016, com patrocínio do programa Natura Musical e financiamento do sistema Pró-Cultura RS. Gravada entre os meses de abril e junho, a temporada foi lançada entre setembro e dezembro do mesmo ano, iniciando uma série de apresentações públicas em eventos como a Semana Acadêmica de Música do Centro Universitário Metodista IPA, o Seminário de Culturas,

 

Filosofias da Diferença e Educação Sustentável na Feira do Livro de Porto Alegre 2016 e a programação de verão do Cine Santander 2017. O conteúdo desta primeira temporada do Gema também foi apresentado no Festival Brasileiro de Música de Rua 2018, sendo exibido na íntegra em escolas de Caxias do Sul e de outras cidades da região serrana do Rio Grande do Sul. Diferentes programas de rádio e televisão na FM Cultura e na TVE RS veicularam o material produzido em vídeo e áudio.

 

Em cada episódio da série o espectador é convidado a conhecer o universo sonoro de cada um de seus protagonistas ou comunidades registradas. A partir de visitas e gravações itinerantes, o projeto mostra os índios Mbya Guarani da Aldeia Tekoa Guaviraty Porã, em Santa Maria; o Maçambique de Osório, grupo negro com no mínimo 144 anos de atividades ininterruptas; a Bandinha Típica Alemã Goela Seca, da cidade de Feliz; o Mestre Paraquedas, sambista com quase 80 anos de história no carnaval de Porto Alegre; o guitarreiro Luis Vagner, de Bagé, que é um dos responsáveis pelo que hoje se conhece como 'samba-rock'; Bonitinho, o 'guitar hero' dos pampas; Adelar Bertussi, um dos mais icônicos e importantes acordeonistas do Brasil; o Regional do Ibicuí, um grupo formado por quilombolas do Quilombo Ibicuí da Armada e seus vizinhos, de Santana do Livramento; Antônio Carlos de Xangô, um dos mais antigos alabês e pais de santo do Rio Grande do Sul e, por último, o Mestre Renato, mestre de terno de reis e luthier de rabecas, violinos, cavaquinhos e violões de Maquiné/RS. O conteúdo está disponível por completo para streaminge download neste site e pode ser acessado também pelo Canal do Youtube (www.youtube.com/c/ProjetoGema) e pelo Soundcloud (https://soundcloud.com/projetogema).

 

A primeira temporada do Gema foi realizada pela FÉsta, com planejamento, gestão e produção executiva da Dasluzes Planejamento e Estratégias em Cultura e coproduzida em colaboração com Francisco Cadaval, Ismael Corrêa de Oliveira, Mário Neto e Rafael Dezesseis. Em suas próximas etapas, o Projeto Gema está realizando a Mostra Gema de Música Regional e um mapeamento colaborativo das culturas populares e ancestrais do RS, seus mestres e suas comunidades tradicionais.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

OPEN Feira de Design - Edição Especial de Natal

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Categorias
Some elements on this page did not load. Refresh your site & try again.

© Site orgulhosamente criado pela equipe PoaCult para você.

Faça contato conosco, envie e-mail para poacult@poacult.com.br