Dog Day estreia no Teatro Carlos Carvalho

Gênero e Suicídio são temas do novo espetáculo da diretora Fernanda Moreno que tem sessões nos finais de semana de 06/05 á 21/05 no Teatro Carlos Carvalho.

 

Vinte e quatro horas de encontros e desencontros em cotidianos solitários. Este é o tema do espetáculo “DOG DAY”, que estréia temporada no dia 6 de maio, no Teatro Carlos Carvalho, na Casa de Cultura Mario Quintana. Com direção de Fernanda Moreno, a montagem aborda temas como o suicídio, gênero, identidade e diferenças sociais de personagens atrelados por um fio de solidão.

 

O foco é uma cidade em que 10 personagens ao longo de 24 horas se encontram estabelecendo relações reais ou até mesmo virtuais, trazendo novas perspectivas para o seu caminho, ora multidão ora deserto. Em meio á contemporaneidade, o indivíduo cada vez mais se isola em seu próprio universo, ora tecnológico ora existencial, as relações tornam-se frágeis e superficiais, nos protegemos em nossos próprios medos, trazendo uma inconstante insatisfação cotidiana, na qual nossas angustias e desmotivações tornam-se os nossos legítimos companheiros.

 

O espetáculo Dog Day, tenta de forma poética retratar a fragmentação do ser humano em um universo multifacetado, em que a coragem de ser a si mesmo é permitida apenas para alguns.

 

Encontramos no relacionamento a distância das personagens Amy e Joe, questões de sexualidade e a barreira de impessoalidade criada pelo apego excessivo ás redes sociais e plataformas assemelhadas. Na personagem Camélia Thompson a questão de gênero e violência é apresentada e refletida com o devido cuidado. No cego Edward Taylor, sua deficiência é abordada como uma diferença e não como uma limitação que o torna inválido. Em Sandy, o materialismo é discutido, em suas cenas de flerte com o Teatro do Absurdo. A cartomante Meggie leva sua vida de forma mecânica movida pela ganância e controle, representando uma falsa ilusão do sucesso. Cooper nos proporciona uma representação do vazio acarretado pelo ódio e intolerância . No relacionamento entre Emma e Thomas, inspirado nas obras Dom Quixote e Madame Bovary, o relacionamento amoroso e sua influência na juventude é trazido à pauta de forma bem humorada proporcionando um alivio cômico. Alma apresenta questões sociais e humaniza os sem tetos, a questão da normalização da miséria fica intrínsecas em suas cenas de humor que cativam o público mais jovem.

 

No espetáculo não há protagonismo, todas as personagens possuem o mesmo número de cenas, e não por acaso, isto é uma das maneiras que a peça tem de dizer que não há pessoas mais ou menos importantes, somos todos igualmente importantes em nossa sociedade, ou deveríamos ser.

 

Em outubro de 2016, a montagem participou do festival Art In Vento, em Osório, sendo indicado em seis categorias e premiado em duas: melhor dramaturgia, para Fernanda Moreno e ator coadjuvante para Giordano Spencer.

 

Dog Day é resultado de curso de extensão, promovido pelo Instituto de Desenvolvimento Social e Cultural da PUCRS, que desde 2015 oportuniza o fazer teatral no âmbito acadêmico, para estudantes da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Em 2016, a ministrante do curso e diretora da peça, apresentou como proposta para seus alunos, a possibilidade de criar um espetáculo autoral, na qual todos tivessem participação ativa em sua concepção, criando assim personagens e dramaturgia desse espetáculo. 

 

Imperdível!!!

 

O Que: Dog Day, de Fernanda Moreno.
Quando: de 06/05 a 21/05, sábados e domingos, às 20h.
Onde: Teatro Carlos Carvalho, Casa de Cultura Mario Quintana.
End.:  R. dos Andradas, 762 - Centro Histórico.
Quanto: Ingressos antecipados no site Entreatos Divulga (http://www.entreatosdivulga.com.br/dogday).

*Ingressos adquiridos no site tem taxa padrão de conveniência.

> No local: R$25,00 (50% de desconto para estudantes, idosos e classe artística). A bilheteria abre 1 hora antes das apresentações.


>>Após as sessões dos dias 14 e 20 de maio ocorrerão sessões comentadas com convidados especialistas em alguns temas abordados na peça. São eles:

 

14/05 – Tema: “Suicídio e deficiência além da ficção”.

Convidados

- Marco Aurélio Alves, Professor e Diretor Teatral, graduando em psicologia e atualmente Conselheiro de Estado da Cultura. Também atua no Instituto Brasileiro da Pessoa em projetos com adolescentes, LGBTs, idosos e soropositivos, objetivando a prevenção ao suicídio e o enfrentamento ao preconceito.

- Eraldo Fortini, bacharel em turismo e em geografia, atuou como Professor em escolas de ensino médio. Enfrentou a deficiência visual atuando como atleta paraolímpico e vem ministrando palestras e participando de debates objetivando conscientizar gestores públicos sobre as maiores demandas de pessoas vivendo com deficiências.

 
20/05 – Tema: “Gênero e Identidade além da ficção”.

Convidados

- Plínio Mósca, diretor e professor de teatro Tecnólogo em produção cênica pela faculdade Monteiro Lobato, Mestre em memória social e bens culturais pela universidade unilasalle de canoas.

- Natasha Centenaro, jornalista, dramaturga e doutoranda em Teoria Literária.

- Fernanda Nascimento, idealizadora do Gemis, (ONG: Gênero, Mídia e sexualidade) e feminista. Jornalista e mestra em Comunicação Social na PUCRS. Autora do livro "Bicha (nem tão) má - LGBTs em telenovelas" (Multifoco, 2015). Atualmente cursa doutorado no Programa Interdisciplinar em Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

6ª edição do Kino Beat – Arte em Movimento

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Categorias

© Site orgulhosamente criado pela equipe PoaCult para você.

Faça contato conosco, envie e-mail para poacult@poacult.com.br