Palácio do Fim

Espetáculo é a primeira montagem gaúcha para o premiado texto da dramaturga canadense Judith Thompson. A peça retrata três visões sobre a Guerra do Iraque, antes e depois da invasão de 2003.



Duração: 1h30min

QUANDO: 12 a 22/03 - de quintas-feiras a sábados às 21h e domingos às 20h.

ONDE: GALERIA LA PhOTO (Travessa da Paz, 44 - Bairro Farroupilha, Porto Alegre) QUANTO: R$ 50,00 (50% de desconto para idosos, estudantes e classe artística mediante comprovação) INGRESSOS ON-LINE: www.entreatosdivulga.com.br/palaciodofim Classificação etária: 16 anos Um dos mais brutais e longos conflitos armados do século, a ocupação norte-americana no Iraque (2003-2011) é o ponto de partida de Palácio do Fim - em referência ao prédio onde eram colhidos depoimentos de presos políticos durante a guerra. Baseado em histórias reais ocorridas antes e depois da invasão, o consagrado texto da dramaturga canadense Judith Thompson - vencedora do Prêmio Walter Carsen, em 2008 - mescla drama e documentário. Encenada pela Cia. In.Co.Mo.De-Te, a peça ganhará a primeira versão gaúcha com direção de Carlos Ramiro Fensterseifer. A estreia será no dia doze de março na GALERIA LA PhOTO, em Porto Alegre. Em cena, três visões diferentes sobre a guerra. O primeiro texto, intitulado Minhas Pirâmides, conta a história da militar americana Lynndie England (interpretada por Fabiane Severo e Sandra Possani), que ficou internacionalmente conhecida por ser fotografada sorrindo enquanto torturava prisioneiros iraquianos em Abu Ghraib. A segunda cena apresenta David Kelly (Nelson Diniz) em Colinas de Horrowdown. O personagem é inspirado no inspetor de armas britânico que revelou em entrevista à BBC que as armas de destruição em massa procuradas por George W. Bush e Tony Blair não existiam. No último monólogo, Instrumentos de Angústia, Nehrjas Al Saffarh (Liane Venturella) é a esposa de um grande líder político iraquiano contrário ao regime. Palácio do Fim é uma reflexão humanista sobre as tênues fronteiras éticas, morais e políticas que uma guerra envolve. Na montagem, o espaço cênico será transformado em um lugar íntimo no qual os personagens se transformam em cúmplices de memórias e sentimentos. Não há palco, a apresentação acontece para uma plateia reduzida de até, no máximo, quarenta pessoas. O espetáculo representa o novo desafio do grupo, que comemora doze anos de atividades ininterruptas com temporadas, apresentações e participações em festivais em todo o país.

A trilha sonora original é do premiado músico Angelo Primon e a iluminação, de Nara Maia. Alexandre Navarro assina a cenografia e Gulherme Carravetta De Carli, a criação e edição dos vídeos. FICHA TÉCNICA: Texto: Judith Thompson Tradução: Liane Venturella e Carlos Ramiro Fensterseifer Direção: Carlos Ramiro Fensterseifer Elenco: Liane Venturella e Nelson Diniz Participações especiais: Fabiane Severo e Sandra Possani Trilha Sonora: Angelo Primon Iluminação: Nara Maia Cenário: Alexandre Navarro Figurinos: Liane Venturella e Carlos Ramiro Fensterseifer Adereços: Valéria Verba Criação e edição dos vídeos: Guilherme Carravetta de Carli Pesquisa de vídeos: Martina Pilau Arte gráfica: Jessica Barbosa Fotografia de cena: Regina Peduzzi Protskof Produção: Cia. In.Co.Mo.De-Te e Primeira Fila Produções Realização: Cia. In.Co.Mo.De-Te e GALERIA LA PhOTO A CIA. IN.CO.MO.DE-TE: Considerado um dos grupos teatrais mais ativos e premiados do Rio Grande do Sul, a Cia. In.Co.Mo.De-Te já produziu diversos espetáculos de sucesso desde 2008. Entre as principais montagens da companhia, estão o Gordo, o Magro e o Muro, DentroFora e a Vida Dele, baseadas na obra do dramaturgo norte-americano Paul Auster. A trupe também encenou Movimentos sobre Rodas Paradas a partir de esquetes de Nelson Diniz.

54 visualizações

© Site orgulhosamente criado pela equipe PoaCult para você.

Faça contato conosco, envie e-mail para poacult@poacult.com.br