Cinema ao ar livre no Guaíba!

Atualizado: 17 de Jan de 2020

Amigos PoaCult,


Na próxima terça-feira (21), a curadoria de experiências LORA, apresenta mais um evento da sua programação de cinema na rua. O projeto nasceu em parceria com a Porto Verão Alegre e com a Unimed Porto Alegre, com o intuito de apresentar conteúdo de cultura e conhecimento em ritmo de verão à cidade de Porto Alegre.


Cine Verão é mais uma intervenção urbana da curadoria de cinema independente LORA, empresa que explora as dimensões arquitetônicas da cidade através de exibição de filmes em pontos públicos da cidade. O evento acontece dentro da programação do Porto Verão Alegre, assinado pela Unimed Porto Alegre, e apresentará três curtas-metragens, De Castigo (2014), A Piscina de Caíque (2017) e Três Vezes por Semana (2011).


A ideia é revitalizar o espaço público através de um evento que respeite e valorize as ruas e pontos turísticos como patrimônio da comunidade, evidenciando o seu potencial para a cidade e seus cidadãos como um todo.


Combinando as expressões de Unimed Porto Alegre e Porto Verão Alegre, nasceu o Cine Verão Unimed, um evento com a proposta de degustar curtas nacionais ao ar livre na Orla do Guaíba. Sob esta perspectiva, a equipe de curadoria se baseou em um mood verão/família/comédia para a escolha dos filmes. 


A iniciativa é baseada no formato de cinema na rua como ressignificação das dimensões arquitetônicas urbanas, tendo como modelo o já apresentado pela LORA, Cine Escadaria no Viaduto da Borges e o Cine Travessa, na Travessa dos Venezianos.

Segunda a produtora LORA, a ideia é sempre resgatar o papel do cinema como agente socializador e político, como janela de imersão a diferentes contextos e realidades, promovendo ações que despertem o pensamento crítico, o debate e o aprendizado através da interação com um conteúdo independente. 


Os curtas que serão apresentados são produções nacionais de diretores jovens contemporâneos e juntos tramam uma costura de diálogo entre três distintas realidades brasileiras e de como são as experiências de verão sob a ótica de três gerações. 


Uma obra é do Estado de São Paulo. Outra, de Goiás. E a última, do Rio Grande do Sul. Juntas elas apresentam contrastes geracionais subjetivos, por se tratarem de histórias que vão do contexto da terceira idade, permeiam nuances da adolescência e por fim, trazem também dinâmicas da infância.



Filme #1: De Castigo (2014) de Helena Ungaretti 19' – SP

Sinopse: O curta De Castigo conta a história do menino Felipe, que é obrigado a passar alguns dias na casa da Tia Guta. A cumplicidade que surge entre eles é deliciosa. Produção da cineasta Helena Ungaretti, De Castigo (SP) ganhou o prêmio de Melhor Filme na avaliação do público na Mostra de Tiradentes de 2015.


Filme #2: A Piscina de Caíque (2017) de Raphael Gustavo da Silva 15' – Goiás

Sinopse: Sonhando em ter uma piscina, Caíque e seu amigo se divertem escorregando no chão molhado e ensaboado da área de serviço. Por causa do desperdício de água, ele acaba criando problemas com sua mãe.


Filme #3: Três Vezes por Semana (2011) de Cris Reque 15' – RS

Sinopse: Sílvia é uma senhora solitária que acumulou frustrações e mágoas durante a vida. A aula de hidroginástica é a sua única diversão: as colegas, as conversas, os passeios. A mesmice do cotidiano parece eterna, até que ela se transforma. (Prêmio de Melhor Montagem na Mostra Gaúcha do Festival de Gramado de 2011, Prêmio de Melhor Interpretação e Roteiro no Festival Mix Brasil de 2011, Melhor Atriz e Menção Honrosa do Júri, no 12o. Curta-SE e Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe).


A curadoria também planeja muito bem a ordem com que os filmes serão apresentados, para sustentarem uma gestão de energia do público espectador. Por isso, a escolha de começar com uma obra que introduz a ambientação verão/refresco, depois seguir com uma história de criança mais descontraída e ao mesmo tempo completamente curiosa, para finalizar com uma narrativa mais dramática porém fechando com final feliz em renovação de óticas. 

As obras serão apresentadas na beira do rio, em cor e tom de porto do sol e verão porto alegrense.


Tchê agenda!!!!


O que: Cine Verão Unimed

Quando: 21 de Janeiro, terça-feira, das 19h às 22h30

Classificação: Livre

Entrada Franca

Endereço: Av. Edvaldo Pereira Paiva - Praia de Belas, Porto Alegre - RS


Programação:


20h00 - De Castigo (2014)

20h30 - A Piscina de Caíque (2017)

20h50 - Três Vezes por Semana (2011)


Realização: Porto Verão Alegre e Unimed Porto Alegre

Curadoria e Produção: Lora

Apoio: Amberê Drinqueria


A partir do conceito “Tudo em Movimento”, o PVA 21 anos oportunizará, a preços acessíveis ou gratuitos, em torno de 150 atrações em 20 espaços da capital - e 1 em Canoas, além de uma apresentação em Farroupilha, Lajeado e Santa Cruz do Sul - e se concretizará como o maior já realizado até agora, segundo os idealizadores, Rogério Beretta e Zé Victor Castiel.   

O PVA 2020 usará as hashtags  #TEM, #TudoEmMovimento e #TEMnoPVA para estimular o compartilhamento de momentos e informações via Facebook e Instagram no @portoveraoalegre.  


O 21º Porto Verão Alegre é apresentado pelo Ministério da Cidadania, Vero,  Zaffari e Unimed Porto Alegre. Tem o patrocínio da Corsan e Racon Consórcios, e o apoio de Banco DLL, Grupo RBS, Porto Alegre Airport, Panfácil, Panvel e Laghetto Hotéis. 


Sobre o Porto Verão Alegre: criado em 1999 e realizado pela Mezanino Produções, o Porto Verão Alegre se tornou um dos maiores e mais representativos festivais multiculturais do país.  Realizado anualmente em Porto Alegre e região durante os meses de janeiro e fevereiro, em 2020 completará 21 anos e contará com os mais variados tipos de eventos culturais e de entretenimento. As recentes premiações recebidas “Prêmio Eva Sopher”, pelo fomento das artes em nosso Estado, e “Prêmio Líderes e Vencedores da Federasul”, na categoria Expressão Cultural, reforçam todo o empenho em elevar a cultura do Rio Grande do Sul a outro patamar.


Sobre a LORA: A LORA seleciona obras do mundo inteiro que não foram distribuídas no Brasil para apresentá-las ao público em espaços alternativos de exibição, no formato de eventos experienciais. Estes espaços variam entre escolas, museus, galerias, empresas e se estendem até mesmo ao ambiente público, onde se propõe uma ressignificação das dimensões arquitetônicas. Já as experiências também variam de acordo com o contexto, mas a premissa básica é transformar o cinema como núcleo de outros desdobramentos artísticos. Dessa forma, a LORA busca evidenciar a cultura ou a temática intrínseca envolvida no filme, não só através do cinema, mas também através da música, gastronomia, arte, performance e qualquer outra forma de expressão que esteja em sinergia com a proposta em discussão. 




29 visualizações

© Site orgulhosamente criado pela equipe PoaCult para você.

Faça contato conosco, envie e-mail para poacult@poacult.com.br