Exposição "As coisas que são ditas antes" na Casa Baka


    Amigos PoaCult,

    A Casa Baka inaugura a mostra coletiva As coisas que são ditas antes, exposição contemplada pelo primeiro edital de curadoria promovido pelo espaço. Com som da DJ Nara Vaez e com a performance Pega fogo cabaré de Ktrina Days, a Abertura n.1 dá início à mostra que reúne artistas visuais, sonoros e performáticos. A ocupação do espaço expositivo se dará em formato de residência artística durante dois meses e, ao longo dessas nove semanas, serão desenvolvidos laboratórios de criação, oficinas, visitas mediadas para grupos e escolas, além de quatro novas aberturas.

    Sobre a exposição

    As coisas que são ditas antes é uma exposição sobre memória, processos e pré-conceitos -- isto é, sobre tudo aquilo que se sabe antes de se conhecer. Enquanto habitante de uma casa que não lhe pertence, é um convite para pensarmos o nosso presente e para exercitarmos os "gestos inacabados" que perpassam o trabalho colaborativo.

    Buscando narrar o presente e ao mesmo tempo desobedecê-lo, esta exposição se propõe como uma denúncia para o tempo de agora. Em constante mudança, se reinventa a cada semana. Parte de trabalhos artísticos, escolhidos para compor a primeira abertura, que são fruto de muito suor, risadas, falsas promessas e transgressões. Bandeiras nacionais recriadas, órgãos públicos cercados como se fossem a cena de um crime e fotografias do centro de Porto Alegre constroem uma identidade anônima permeada por palavras e gritos que evocam as instabilidades e as angústias de estar aqui e agora.

    Que coisas foram ditas antes que hoje não temos como ouvir?

    Sobre os/as artistas residentes

    A exposição conta com obras feitas especialmente para este espaço por artistas convidados para a primeira abertura, são eles: Ana Bertoldi, Brenda Quevedo, Eva Carpa, Gabi Faryas, Jordi Tasso, Ktrina Days, Maria Ana, Pedro Rocha, Phill Coutinho. Para as demais aberturas, a lista poderá sofrer alterações.

    Sobre a equipe

    Esta exposição é produzida colaborativamente por Marina Feldens, Daniele Alana, Lucas Schultz, Kevin Nicolai, Clara Marques, Ana Bertoldi e Jordi Tasso.

    Sobre a DJ Nara Vaez

    Nara Vaez é artista visual e sonora, produtora de música eletrônica experimental high bpm com referências que vão do footwork, ao pop e ao trap 808, fugindo de uma linearidade lógica e pragmática. Produzindo rasgos e desvios, primoriza a pesquisa da produção sonora feminina underground e a prática artística da produção musical.

    Sobre a Casa Baka

    A Casa Baka é um espaço gestionado de forma autônoma pelo curador Diego Groisman com a colaboração de Charlene Cabral. Nos revezamos em em tarefas de planejamento, curadoria, produção e execução e escalamos colaboradores eventuais para uma maior pluralidade do projeto, mirando a uma conexão viva com nossa cidade, suas demandas e ofertas artístico-culturais.

    Sobre as curadoras

    Marina Feldens (Porto Alegre, 1994) - graduanda em História da Arte (IA/UFRGS), pesquisa práticas que partem da construção transdisciplinar de fomento, produção e análise. Através das experiências em educação e arte, ao trabalhar como mediadora na Fundação Iberê Camargo, vivenciou o público tanto como receptor como também agente ativo dos saberes artísticos. Flerta há um tempo com o estudo de performance e dança contemporânea, tendo participado de diversos espetáculos e grupos experimentais.

    Daniele Alana (Viamão, 1996) - graduanda em História da Arte (IA/UFRGS), atualmente integra a equipe de mediação da Pinacoteca Rubem Berta. Através de suas vivências de deslocamento e conhecimento, investiga meios de produção no território geográfico e sensível da arte. Sua investigação aborda a relação direta entre curadoria, produção e mediação, pois acredita que estas se atravessam em convívio aberto possibilitando um espaço além das direções traçadas por narrativas delimitadas pela história da arte. Em seus trajetos, busca diferentes perspectivas que possibilitem a expansão desse território colaborativo da arte, aproximando diferentes públicos para ocupar o lugar do pertencimento social.

    Clara Marques (São Paulo, 1997) - graduanda em História da Arte (IA/UFRGS). Possui um International Baccalaureate pelo Mahindra United World College of India (2012—2014) com ênfase em Arte Visuais, Psicologia e Literatura e Linguagem. Foi mediadora e assistente do Programa Educativo da Fundação Iberê Camargo (2018—2019) e residente no United World College in Mostar, na Bósnia-Herzegovina (2014—2015). Pesquisa as relações entre arte, guerra e gênero.

    Serviço:

    O Que: Primeira abertura da exposição "As coisas que são ditas antes".

    Quando: abertura: 04 de outubro, sexta-feira, das 19h às 22h.

    Visitação: Sextas: 16h a 20h (sem agendamento) Quartas: manhãs/tardes sob agendamento pelo email ou instagram.

    Onde: Casa Baka - Arte e Cultura

    End.: Rua da República, 139. Cidade Baixa.

    Quanto: Entrada Gratuita.

    #Exposição #CasaBaka #Outubro19

    150 visualizações

    © Site orgulhosamente criado pela equipe PoaCult para você.

    Faça contato conosco, envie e-mail para poacult@poacult.com.br