Vivemos na melhor cidade da América do Sul


No dia 30 de setembro, a Fundação Iberê Camargo inaugura a exposição Vivemos na melhor cidade da América do Sul. Com curadoria de Bernardo José de Souza e Victor Gorgulho, a exposição apresenta obras de mais de 32 artistas. O projeto investiga noções contraditórias de tropicalidade, identidade nacional, corpo e violência, partindo da paisagem estética e política do Rio de Janeiro. A mostra exibe pinturas, esculturas, fotografias, instalações, vídeos e performances que especulam sobre o mito da "cidade maravilhosa". Durante os finais de semana, os programas públicos incluem seminários, ciclos de cinema, debates, música, performances e atividades em diálogo com outros campos do conhecimento. A exposição poderá ser visitada até o dia 17 de dezembro.

SERVIÇO

O QUE | Abertura da exposição Vivemos na melhor cidade da América do Sul

QUANDO | 30 de setembro, sábado, das 14h às 19h

VISITAÇÃO | sábados e domingos, das 14h às 19h

PATROCÍNIO DA EXPOSIÇÃO | Farm Rio e Baldo S/A

ONDE | Av. Padre Cacique, 2000.

SITE | www.iberecamargo.org.br

FACEBOOK | www.facebook.com/fundacaoiberecamargo

TRANSPORTE | As linhas regulares de lotação que vão até a Zona Sul de Porto Alegre param em frente ao prédio, assim como as linhas de ônibus Serraria 179 e Serraria 179.5. É possível tomá-las a partir do centro da cidade ou em frente ao shopping Praia de Belas. O retorno pode ser feito a partir do Barra Shopping Sul, por onde passam diversas linhas de ônibus com destino a outros pontos da cidade.

ATIVIDADES PARALELAS

30/09 – SÁBADO

14h – 19h | Visitação

16h | Performance “Rodinha de abertura”, com Miúda

O coletivo de artistas cariocas reproduz uma conversa de bar e muita cantoria em uma mesa montada em meio ao espaço expositivo, ironizando as área VIPs e desconstruindo o ideal de celebridade.

17h | Performance “Lava Jato – Lavagem integral”, com a artista Maria Sabato

Na performance, a artista argentina Maria Sabato lava carros do público, dançando ritmos latinos e brasileiros.

14/10 - SÁBADO

15h | Seminário Sob o sol dos trópicos: prazer e violência na esfera contemporânea, com Pablo León de la Barra

Este seminário busca especular sobre o princípio do prazer e o ritmo perverso e acelerado que orienta a vida e o trabalho no mundo contemporâneo, questionando as noções de hedonismo relacionadas ao mundo tropical diante de uma sociedade marcada pela lógica da punição, da violência, da discriminação e da produtividade.

Tropicália, instalação de Hélio Oiticica, emprestou seu nome ao movimento musical que acabou por difundir a imagem de um Brasil tão arcaico quanto moderno, e que neste ano completa seus 50 anos. Entre as artes visuais e a música brasileira, as obras da exposição questionam os impulsos utópicos irradiados ao longo das últimas décadas pelo tropicalismo e por Baby, canção que seria celebrizada por Gal e pelos Mutantes.

Em paralelo à exposição, os programas públicos que acompanham a mostra também buscarão tensionar percepções diversas sobre Porto Alegre, os gaúchos e sua realidade multicultural, muitas vezes relegada à sombra do passado e da tradição.

O seminário proposto pela Fundação Iberê Camargo para este novo projeto - Sob o sol dos trópicos: prazer e violência na esfera contemporânea – terá início dia 14 de outubro e conta com participação de Pablo León de la Barra, atual curador do MAC Niterói e curador do Museu Solomon R. Guggenheim para a fase latino-americana da Guggenheim UBS MAP Global Art Initiative. Outros nomes já confirmados para o seminário são Lisette Lagnado e Fausto Fawcett.

Lista de artistas:

Adriano Costa, Alair Gomes, Anna Franceschini, Beto Shwafaty, Carlos Vergara, Caroline Valansi, Débora Bolsoni, Dominique Gonzalez-Foerster, Guga Ferraz, Guerreiro Do Divino Amor, Hélio Oiticica, Iberê Camargo, Joe Williamson, Le Corbusier, Maria Sabato, Mario Testino, Manoela Medeiros, Marcos Chaves, Miúda, Pedro Flutt, Pedro Victor Brandão, Pedro Rocha, OPAVIVARÁ!, Oliver Bulas, Raymundo Amado, Rioschock, Rodrigo Matheus, Romain Dumesnil, Rosângela Rennó, Sérgio Bernardes, Traplev e Vivian Caccuri.

Pablo León de la Barra (nascido em 1971, na Cidade do México) é um curador independente, radicado em londres e em Nova York. Atualmente, é curador no Museu Solomon R. Guggenheim para a fase latino-americana da Guggenheim UBS MAP Global Art Initiative. León de la Barra recebeu seu Ph.D em História e Teoria da Architectural Association School of Architecture, em Londres. Ele fez curadoria ou co-curadoria de exposições em diversas localidades internacionais, incluindo a Apexart, The Architecture Foundation, Art in General, o Centre d’Art Contemporain Genève, Centro Cultural de España, a David Roberts Foundation, a Kunsthalle Zürich, a Luis Barragán House and Studio, e o Museo Tamayo. Em 2012, foi o primeiro beneficiário do Prêmio Coleção Patricia Phelps de Cisneros de Viagem pela América Central e Caribe.


0 visualização

© Site orgulhosamente criado pela equipe PoaCult para você.

Faça contato conosco, envie e-mail para poacult@poacult.com.br