Yerma ou quanto tempo leva para transbordar um balde estreia no Teatro Renascença


Salve amigos PoaCult,

Um espetáculo adulto que trata de desejos, anseios e quereres de uma sociedade que cria códigos de conduta moral e de felicidade, contada transversalmente pelas expectativas de um casal que, ao mesmo tempo, os alimenta e os devora. Em 1934, Federico Garcia Lorca - na sua obra Yerma - falava de um universo de desejos insatisfeitos, maledicência, vergonha e ignorância. Um casal sem filhos. Suposições pessoais ou da sociedade sobre as quais existe um “culpado”, deformidades causadas por códigos de conduta ignoradas, defeitos físicos ou espirituais que o deformam. Esta universo é base e guia para a construção do espetáculo “Yerma ou quanto tempo leva para transbordar um balde”. A investigação parte de uma mulher e seu desejo de ser mãe para observar as distintas questões que nos inquietam - quereres, desejos e ânsias em uma coletividade que estabelece um guia de comportamento ética que a faz infeliz; os papéis no casamento e suas decorrências dentro da conjuntura social dos últimos séculos e a correlação sobre o que é possível e o que é desejado por cada pessoa. O que esperam de nós? O que achamos que esperam de nós? O que nós mesmos esperamos de nós mesmos? Como viver sem cumprir as expectativas? Que tamanho pode ter a frustração? Qual o limite que alcança um sofrimento? Há um ano, o TEATRO ATELIÊ vem trabalhando sobre os temas abordados por Federico Garcia Lorca em Yerma. Sendo um dos grupos pertencentes do Projeto Usina das Artes, este teve a oportunidade de mergulhar a fundo na investigação da obra e trazer para discussão questões fundamentais do ser humano. Com 18 anos de trabalho ininterrupto, o TEATRO ATELIÊ tem extensa pesquisa em Contação de histórias e trabalho permanente de multiplicação de expectadores - principalmente na infância e juventude – atuando em parceria com a Livraria FNAC, Editora Moderna e Câmara Riograndense do Livro. Andarilho, seu último espetáculo foi agraciado com os prêmios Tibicuera de Teatro 2016 de Melhor Espetáculo, Direção, Dramaturgia, Ator, Atriz e Cenário, sendo indicado a nove das doze categorias. No ano em que completa sua “maioridade”, o Teatro Ateliê escolhe Yerma, de Federico Garcia Lorca, para retornar à sua pesquisa em Teatro Adulto. A partir dela, cria sua história, traz suas características e deita novo e contemporâneo olhar sobre as questões humanas postos na obra. A direção é de Gustavo Dienstmann e no elenco: Áurea Baptista, Alex Limberger, Alexandre Malta, Ursula Collishonn e Valquiria Cardoso.

Serviço:

O Que: Espetáculo teatral “Yerma ou quanto tempo leva para transbordar um balde” Quando: de 04 a 27/08, sextas a domingos, sempre às 20h. Onde: Teatro Renascença - Centro Cultural Lupicínio Rodrigues End.: Av. Erico Verissimo 307, Azenha. Quanto: R$ 30,00 (desconto de 50% para estudantes, idosos e classe artística) Sobre a obra de Federico García Lorca

Yerma foi escrita em 1934 e apresentada pela primeira vez no mesmo ano. É uma obra popular de caráter trágico, ambientada em Andaluzia, no início do século XX. Conta a história de um casal que segue, segundo as tradições de sua comunidade, as prescrições cotidianas do casamento – o homem empenha-se no trabalho junto ao gado e no cuidado com a terra, a mulher cuida da casa e do bem-estar do marido. Yerma deseja, como única condição de felicidade, ter um filho; no entanto, o tempo passa, a gravidez não vem e o desejo de outrora vai dando lugar à frustração. Mais do que a questão da esterilidade ou da maternidade frustrada, o que está superiormente expresso em termos poéticos e simbólicos em Yerma é a tragédia de todos os que não conseguem realizar a sua plenitude vital ou que vêem definhar o seu potencial criativo, em razão da ignorância, do preconceito, da repressão ou das forças desencontradas do destino.

Sobre o autor

O autor Federico García Lorca (1898-1936) nasceu na região de Granada, na Espanha, e levou para sua poesia muito da paisagem e dos costumes de sua terra natal. Lorca é considerado um dos mais importantes escritores modernos de língua espanhola. Por meio de sua poesia identificou-se com os mouros, os judeus, os negros e os ciganos, alvos de perseguições ao longo da História de sua região. Em 1920 estreou no teatro com a peça “O Malefício da Mariposa”. Em 1931, criou a “La Barraca”, companhia teatral ambulante que percorria as aldeias de todo o país encenando autores clássicos espanhóis como Lope de Vega e Cervantes. Tornou-se um grande dramaturgo e criou peças que ficaram conhecidas no mundo inteiro. Entre suas obras mais encenadas estão “Bodas de Sangue”, “Yerma” e “A Casa de Bernarda Alba”. Jamais deixou de manifestar aversão ao fascismo. Em 1936, ano da eclosão da Guerra Civil Espanhola, García Lorca foi preso. Fuzilado por militantes franquistas, tornou-se símbolo da vítima dos regimes autoritários.

Sobre o Teatro Ateliê Com 18 anos de trabalho ininterrupto, o TEATRO ATELIÊ tem extensa pesquisa em contação de histórias em parceria com SESCs dentro e fora do Estado, e trabalho permanente de multiplicação de expectadores, principalmente na infância e juventude, atuando com a Livraria FNAC, Editora Moderna e Câmara Riograndense do Livro. Iniciando sua atividade em 1998, com o tempo passa a abrir pesquisas em outras técnicas, como Teatro de Rua com o espetáculo “Aqui, Ali e Acolá” e Manipulação de Bonecos. Ao longo desses anos teve mais de 5 mil apresentações. Seu mais recente espetáculo, “Andarilho”, recebeu os Prêmios Tibicuera de Teatro 2016 nas categorias melhor espetáculo, direção, dramaturgia, ator, atriz e cenário.

*crédito da foto: Guega Peixoto.


36 visualizações

© Site orgulhosamente criado pela equipe PoaCult para você.

Faça contato conosco, envie e-mail para poacult@poacult.com.br